sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Livro: A Sombra do Vento

H

á tempos estou para reiniciar meu ciclo de postagens... mas sempre havia algo que adiava este momento.

Enfim, instantes após terminar a leitura de um dos melhores livros que já li - não digo o melhor porque reluto em considerar que alguma criação supere a minha tão adorada coleção de O Tempo e o Vento, de Erico Verissimo - senti-me praticamente na obrigação de expor esta obra: A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón, já muito conhecida de muitos, afinal são mais de 6,5 milhões de cópias vendidas segundo o anúncio da própria editora (Objetiva, sob o selo Suma de Letras).

Essa foi, sem dúvida, a leitura mais prazeirosa que tive de um livro, sobre os quais tenho que confessar que não li muitos para ser alguém respeitável para comparações, mas posso afirmar que este livro, como poucos, consegue atrair a atenção sempre, nunca deixando o ânimo do leitor abaixo do clímax.

Bem, com esta breve descrição abaixo, retirada do próprio site da editora, desejo sinceramente que todos que puderem - e quiserem - deixem-se levar por esta história tão cativante, uma história que nos dá, a cada final de capítulo, uma enorme vontade de iniciar imediatamente a página seguinte, a despeito do passar das horas.

"A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias."

Boa leitura!