quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Parar de fumar aumenta risco de diabetes

C

alma, calma... coloquei esse título só pra chamar a atenção, mas confesso que fiquei momentaneamente alarmado quando li o título desta matéria: Giving up smoking 'raises diabetes risk', publicada ontem no site da BBC News. Esse é o clássico atrativo das manchetes, que sem querer querendo (desculpe pelo trocadilho) atraem nossa atenção fazendo com que tenhamos opinião e julgamentos antes mesmo de lermos a matéria.

Mas, enfim, vamos ao que interessa: à matéria. De acordo com um estudo norte-americano, que acompanhou mais de 10 mil pacientes por 17 anos, ficou evidenciado que ao parar de fumar, especialmente nos primeiros 3 anos se comparados aos ainda fumantes (ou 6 anos, em relação aos não fumentes), a pessoa tem uma chance aumentada de desenvolver o diabetes melito tipo II. Mas claro que essa descoberta não vem para auxiliar o fumante a ter mais uma desculpa para continuar seu vício, muito pelo contrário: é mais uma evidência da importância do acompanhamento do paciente que parou de fumar, isto é, o seguimento do ex-fumante é tão importante quanto fazê-lo parar de fumar.

Isso tudo se justifica pelo sinal clássico dos ex-tabagistas: o ganho de peso. Esse seria o vilão da história, pois ao descontar na comida, o ex-fumante sobrecarrega o organismo com aportes de nutrientes em medidas as quais o corpo não estava acostumado, especialmente de carboidratos, que geralmente compõem a maior parte do subsídio nutricional diário de uma pessoa.

Mas que fique claro: as pessoas, depois de 10 anos pós-parada, têm o risco de desenvolver diabetes igual ao das que nunca fumaram. E, obviamente, a pessoa que parou de fumar se livra de outros tantos problemas relacionados ao cigarro, que vão desde patologias vasculares até problemas decorrentes de tumores.

Assim, fica evidente a necessidade de o profissional de saúde (e qualquer um que esteja ajudando alguém a parar de fumar) de salientar a importância da prática de exercícios e da adoção de uma dieta balanceada, sem exageros, para que o controle do peso faça com que a suspensão do tabagismo realmente traga apenas os benefícios tão conhecidos por todos (que não são poucos).

Um comentário:

Déia♥ disse...

O certo é nunca começar!