sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Livro: A Sombra do Vento

H

á tempos estou para reiniciar meu ciclo de postagens... mas sempre havia algo que adiava este momento.

Enfim, instantes após terminar a leitura de um dos melhores livros que já li - não digo o melhor porque reluto em considerar que alguma criação supere a minha tão adorada coleção de O Tempo e o Vento, de Erico Verissimo - senti-me praticamente na obrigação de expor esta obra: A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón, já muito conhecida de muitos, afinal são mais de 6,5 milhões de cópias vendidas segundo o anúncio da própria editora (Objetiva, sob o selo Suma de Letras).

Essa foi, sem dúvida, a leitura mais prazeirosa que tive de um livro, sobre os quais tenho que confessar que não li muitos para ser alguém respeitável para comparações, mas posso afirmar que este livro, como poucos, consegue atrair a atenção sempre, nunca deixando o ânimo do leitor abaixo do clímax.

Bem, com esta breve descrição abaixo, retirada do próprio site da editora, desejo sinceramente que todos que puderem - e quiserem - deixem-se levar por esta história tão cativante, uma história que nos dá, a cada final de capítulo, uma enorme vontade de iniciar imediatamente a página seguinte, a despeito do passar das horas.

"A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias."

Boa leitura!

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Proposta inútil

R

ecentemente foi veiculada na mídia uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prevê a inclusão do "direito à busca da felicidade" na Constituição Federal. Encabeçada pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF) , o novo texto, como exposto no site do próprio senador, tem como objetivo reforçar e ratificar em seu conceito a garantia dos direitos sociais básicos como fator decisivo para propiciar a busca da felicidade. Agora pergunto: pra quê? Por que perder tempo com essa frivolidade? Admiro-me de os governantes realmente levarem esta proposta a sério!

Ao ficar sabendo desta proposta, lembro-me da tão falada carta de autoria do mesmo senador que fora espalhada pelo país afora na época em que eu ainda prestava vestibular (cerca de 5-6 anos atrás), a qual apresentava um discurso dele sobre a nossa hegemonia sobre a Amazônia e sua contrariedade acerca de uma possível internacionalização desta região. Sendo assim, fico duplamente triste ao ver como uma pessoa que conseguiu proferir tão felizes palavras anteriormente, propõe uma emenda tão estúpida como esta sobre felicidade.

Para não cair em palavras rudes, creio que esta proposta é no mínimo sem utilidade, sendo assim não deveria nem sequer ter tomado forma fora da mente de seus criadores, quanto mais ser projetada à constituição. O interessante que os que defendem esta proposta comparam a situação em questão com questões básicas como saúde, educação e segurança, como se palavras bonitas fossem mudar esta realidade cruel e negligente. É uma pura perda de tempo! Vejo a veiculação desta proposta na mídia apenas como geradora de um deboche nacional frente ao assunto. Com tanta coisa que está errada no país (e em maior escala na esfera política), é revoltante ver que os deputados e senadores abrem brecha na pauta de discussões para um assunto tão menor, tão bobo, deixando de se concentrar no realmente interessa.

Os políticos participantes desta proposta, conforme informa o site da Câmara dos Deputados são os seguintes: Dep. Manuela d´Ávila (PCdoB-RS) (Autora da proposta na Câmara), Dep. Jair Bolsonaro (PP-RJ), Dep. Paulo Rubem Santiago (PDT-PE) e Sen. Cristovam Buarque (PDT-DF) (Autor da proposta no Senado).

domingo, 4 de julho de 2010

Proibição do aborto não é eficaz

E

stou há um bom tempo com esta reportagem arquivada nos rascunhos do blog, tinha a esquecido. Mas agora exponho-a, colocando assim mais um pouco de lenha na fogueira deste assunto tão polêmico que é o aborto*. Com o título Bans 'do not cut abortion rate', uma matéria publicada no site da BBC News em outubro do ano passado mostra que a legalização do aborto não aumenta de forma significativa a incidência deste tipo de procedimento (ou conduta, como desejar).

A pesquisa realizada pelo Instituto Guttmacher constatou que o aborto ocorre com taxas praticamente iguais entre locais que legalizam o ato e outros onde ele é altamente restrito a algumas condições. Ainda, evidenciou-se que o grande fator para uma queda verdadeira na taxa de abortamentos é o incremento no acesso aos métodos contraceptivos. Uma prova disto é o leste europeu, onde o aborto é tratado como uma forma de controle de natalidade, e onde foi evidenciado uma queda significativa na taxa de abortamento nesta última década, já que os contraceptivos estão sendo cada vez mais disponíveis à população.

O estudo foi desenvolvido em 197 países e encontrou uma diminuição global no número de abortos (de 45,5 milhões em 1995 para 41,6 milhões em 2003), a despeito do aumento da população mundial. Ao longo dos 10 anos do estudo, dezenove países tiveram liberalizações nas suas leis referentes ao aborto, comparadas com aumento das restrições em apenas três. É pertinente lembrar, no entanto, que 40% das mulheres vivem em países onde a restrições ao aborto são intensas.

Os pesquisadores notaram que a liberalização foi um fator-chave para a cessação da gravidez de uma forma segura, porém é evidente que, mesmo nos países onde o aborto é legalizado, a falta de disponibilidade e o custo são os maiores obstáculos a uma prática segura, o que força muitas mulheres a continuarem a fazer abortamento por vias clandestinas, tanto que anualmente cerca de 70 mil mulheres morrem e 5 milhões desenvolvem complicações em virtude de abortos sem condições mínimas de segurança e higiene.

Ainda há a questão da 'exportação' dos dados, ou seja, a distorção nos números de abortamentos, uma vez que mulheres muitas vezes viajam para outros locais para abortarem em virtude de este ato não ser permitido no seu país de origem, o que também geralmente põe a vida destas mulheres em risco.

Dessa forma, fica claro que o simples ato de liberar ou proibir o aborto não é o suficiente para a diminuir o número de gestações indesejadas. A melhor conduta passa pelo investimento no planejamento familiar, desde a facilitação do acesso aos contraceptivos até o estímulo à conscientização da população da importância que a geração de uma nova vida tem sobre todos os aspectos da vida de uma família, tanto financeiros como psicológicos.

* O termo aborto não é o correto a ser usado, uma vez que o certo seria abortamento (aborto é, na verdade, o resultado de um abortamento, ou seja, o embrião/feto em si). Porém, com o intuito de facilitar a comunicação, ambos os termos são aqui usados como sinônimos.

domingo, 6 de junho de 2010

Sono da sabedoria

S

ua memória pode ser melhorada com uma sonequinha após o estudo, pelo menos é isso que foi evidenciado em um estudo publicado no jornal acadêmico Cell Biology. Segundo a pesquisa, o sonho pode ser um sinal de que nosso cérebro está trabalhando firme no nosso sono, uma vez que foi constatado que as pessoas que sonhavam se saíam melhores nas tarefas ao acordar, se comparado às que não dormiam ou sonhavam.

O doutor Robert Stickgold, da Escola de Medician de Harvard, um dos autores da pesquisa, disse: "Os sonhos podem refletir a tentativa do cérebro em encontrar associações para as memórias que podem fazê-las mais úteis no futuro"

A questão agora é saber como tirar vantagem deste fenômeno de forma significativa para melhorar o aprendizado e a memória

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Cuidado com o que comes!

C

omo era de se esperar, mais um estudo comprova que comidas processadas, como linguiça, bacon, salame e etc, podem aumentar o risco de doença cardíaca e diabetes. Mas o interessante deste estudo, que na verdade é uma revisão sistemática e meta-análise, é que ele comparou uma dieta com este tipo de comida com a tão mal-falada carne vermelha não processada, e constatou que a primeira é que tem o grande efeito nocivo.

Outro fato importante aventado pelos pesquisadores da Universidade de Harvard (autores do estudo) foi que o sal teria a maior influência na gênese destas patologias e não a gordura. A pesquisa, publicada no jornal Circulation, especula que as quantidades de colesterol e gorduras saturadas foram similares, mas que o sal e os conservantes adicionados às carnes processadas seriam os veradeiros vilões e, então, explicariam as diferenças encontradas no estudo.

O próprio efeito hipertensivo do sal pode ser a chave para aumentar o risco de doença cardíaca. Além disso, em experimentos com animais, viu-se que conservantes com nitrato podem promover aterosclerose e reduzir a tolerância à glicose, o que explicaria a maior incidência de diabetes conjuntamente ao problema coronário.

Em números, esta revisão que observou 20 estudos envolvendo mais de 1 milhão de participantes oriundos de 10 países, constatou que uma média de 50g de carne processada diariamente esteve associada ao aumento de 42% no risco de doença coronariana e de 19% no risco de desenvolvimento de diabetes.

Segundo Renata Micha, líder do estudo, ainda que a relação causa-e-efeito não possa ser provada por este tipo de estudo, é conveniente salientar que os estudos-base foram ajustados para outros fatores de risco. Mas também é preciso dizer que o fato de se consumir carne processada geralmente é um indicativo de um mau hábito alimentar como um todo, e isso sim, tem um grande efeito nocivo sobre nossa saúde.

As recomendações de sempre seguem valendo: prefira por carnes grelhadas ou assadas, troque o sal por algum tempero vegetal... e por aí vai...

Enfim, como tudo na vida, este é mais um tema que não deve ser visto isoladamente, afinal, devemos nos policiar sempre, pois uma gordurinha no almoço te induzirá ao doce da sobremesa... e isso hoje, amanhã... já viu onde vamos parar!

Fonte
'Sausage not steak' increases heart disease risk, da BBC News
Estudo original: na revista Circulation (mas este, só para quem pode... o que não é o meu caso - mas o
abstract já tá valendo!)

domingo, 16 de maio de 2010

Show Coldplay: feedback

D

epois de um bom tempo sumido por aqui, retorno inicialmente cumprindo o que fora prometido no post anterior: falar sobre o show do Coldplay, no Rio de Janeiro este ano.

Bem, primeiro é necessário falar da pontualidade, algo difícil no mundo dos shows… mas neste foi diferente: espetáculo com início dentro do previsto e sem problemas no transcorrer do show.

Intro: as bandas que abriram o show, Vanguart e Bat For Lashes, tiveram seu espaço e o usaram muito bem… elogios a parte, achei um pouco de sacanagem o uso dos efeitos no show destas bandas… a Vanguart só usou as luzes de palco (não pode ou não quis usar os telões?)… e a Bat For Lashes usou os telões, mas nada de grandes efeitos luminosos.. e no telão do palco, apenas uma imagem estática. O que me pareceu é que os efeitos iam sendo utilizados de acordo com a banda que ia tocando, ou seja, quase nada de efeito para as aberturas e todo o efeito para a banda principal.

Coldplay: A dinâmica do show foi espetacular, bastante interação com o público (as duas extensões do palco foram fundamentais nisso) e muitos efeitos especiais, nada de revolucionário nem de exagerado, mas o necessário para um show deste porte, o que valorizou cada centavo pago no ingresso. Fiquei no início da pista, logo após a pista VIP.. muito boa visibilidade – e ao ver o show de São Paulo, agradeço todo dia por não ter comprado ingresso lá, pois como o púbico no Rio era menor, o show não perdeu a grandeza e ganhou em visibilidade a todo o público. Quanto aos problemas de som (som muito baixo, reclamado por alguns sobre o show em São Paulo) isto não aconteceu no Rio.

Enfim, pra mim que nunca fora num show desta magnitude, achei excelente a produção e saí muito satisfeito de lá, louco pra voltar a um show deles. O melhor show sem dúvida! Mesmo quem não é fã da banda, gostaria muito do trabalho apresentado no Rio.


Parabéns à banda e a todos que foram no show, afinal nós também demos um show!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Show: Coldplay

E

nfim está chegando a hora... neste dia 28 de fevereiro a banda Coldplay chega ao Rio de Janeiro, na reta final da turnê Viva La Vida. O show vai ser aberto pela banda brasileira Vanguart e pela inglesa Bat For Lashes. No Brasil, o show ainda se repete em São Paulo, dia 02 de março.

A praça da apoteose vai ser o palco do show no Rio, que terá os portões abertos às 16h e início das apresentações às 18h com Vanguart, depois Bat For Lashes e, por fim, por volta das 20h, o Coldplay entra em cena. O show promete!

Os ingressos estão sendo vendidos pela Ticketmaster. Não pensei duas vezes e comprei ingresso pro show do Rio!
Na volta, conto como foi.

Viva La Vida!

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Treinando seu inglês

S

ejam adoradores desta língua (como eu) ou não, vocês não devem deixar de conhecer este site: BBC Learning English.

Há um bom tempo eu desfruto de suas inúmeras funcionalidades.. mas confesso que agora não o utilizo tanto, já que ele não dispõe mais do sistema de newsletter, o qual invariavelmente o mantém ligado no que está rolando.

Bem, este site contém inúmeros recursos para você aperfeiçoar o inglês: desde a pronúncia de cada letra até 'listenings' para treinar seus ouvidos. Também há sessões de tira-dúvidas e até fóruns (nos quais ingressei a pouco). Estes fóruns, chamados de Message Boards, propiciam que pessoas de qualquer parte do mundo se comuniquem, trocando experiências, tendo contato com todo tipo de ideia, hábito e costume.. tudo isso de uma forma rápida, prática e, acima de tudo: limpa, isto é, sem um problema clássico de chats de inglês espalhados pela internet - os 'sem-noção', que ficam falando bobagens, muitas vezes sem conteúdo, com intuito de paquera (o que ocasionalmente acontece, sem problemas) ou até papos com cunho sexual, esquecendo do verdadeiro intuito de um chat de línguas: a troca de opiniões e o aperfeiçoamento da língua.

Enfim, deixo aí esta dica, que além de ser administrado por uma empresa séria e conhecida, não deixa você com o bolso vazio, porque é tudo de graça, sem restrições!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Filme: Se Beber Não Case!

F

az um tempo que vi este filme, mas ainda não havia dedicado um post a ele. Enfim, aí está o pensado (e prometido pra mim mesmo) post deste filme hilário: Se Beber Não Case!

Essa é uma das minhas comédias inesquecíveis, que me relembrou o prazer de uma boa e verdadeira gargalhada (e não apenas os sorrisinhos que a maioria das comédias incita).

Sem querer revelar o filme para quem não o viu (algo difícil hoje em dia, na era do download e do dvd pirata a preço de banana - a qual aliás está muito mais cara que um filme na banca da esquina!).. mas já revelando, é incrível ver alguém com uma despedida de solteiro que tenha tomado tamanhas proporções: desde o aparecimento insólito de um leão dentro do apartamento (com um dono tão insólito quanto, diga-se de passagem) até a impagável imagem de um dentista sem um dente!

Logo a seguir coloco este pôster do filme, o qual eu indico a todos, com muito gosto (e dor na barriga, de tanto rir!)
Abraço a todos... e bom filme!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Enxaqueca, à luz dos conhecimentos atuais

D

esculpe-me pelo trocadilho.... mas sabe aquela sensação de que uma luz (seja do sol ou mesmo a daquele cômodo bem iluminado) piora a dor de cabeça? Pois é, essa é uma experiência por que passam muitas das pessoas que sofrem de enxaqueca. E agora a ciência começa a desvendar o porquê deste acontecimento. Veja nas linhas a seguir uma breve descrição do estudo que levou a esta conclusão.

De acordo com estudos da Universidade de Harvard, liderado por Rami Burstein, professor de anestesia and medicina de tratamento intensivo do Beth Israel Deaconess Medical Centre, em Boston, EUA, foram provados e desvendados os motivos de a luz piorar a enxaqueca - a via visual está realmente envolvida neste processo que é chamado de sensibilidade à luz ou fotofobia.

Na pesquisa, foram feitos dois grupos de participantes (ambos cegos e enxaquecosos): o primeiro era totalmente cego (tanto para imagens como para percepção de luminosidade), devido a doenças oculares como câncer de retina e glaucoma; já o outro grupo, cego por doenças degenerativas da retina (p.ex.: retinite pigmentosa), não percebia imagens mas era provido de percepção luminosa. Logo, o segundo grupo dispunha de um ciclo sono-vigília íntegro, pelo fato de saber quando é dia e quando é noite, mesmo sem oficialmente ter o poder de enxergar. Assim, pacientes deste último grupo descreviam intensificação da dor de cabeça quando eram expostos à luz, particularmente com comprimentos de onda azul ou cinza, o que indica que o mecanismo da fotofobia deve envolver o nervo óptico, que transportaria sinais da luminosidade ao cérebro.

Mais especificamente, a suspeita recai sobre fotorreceptores retinianos contendo melanopsina (que ajudam no controle biológico das funções do sono e da vigília), uma vez que eles são os únicos receptores para luz funcionantes na retina dos cegos do segundo grupo. Esta evidência foi corroborada por um teste com eletrodos instalados nestes "neurônios da enxaqueca", onde se mostrou que a estimulação destes receptores gerou sinais com o mesmo trajeto daquele feito pela fotoestimulação.

Acredita-se que a enxaqueca se desenvolva por irritação meníngea (meninges são as membranas que recobrem o sistema nervoso central), o que estimula receptores para dor e desencadeia uma série de sintomas de forma prolongada, fato muito conhecido dos portadores da enfermidade. Outro fato curioso que foi evidenciado na pesquisa é o de que os neurônios fotoestimulados permanecem assim por um tempo, mesmo com a interrupção da incidência de luz, o que explicaria a intensificação da cefaléia segundos após a exposição à luz e a permanência da dor mesmo após ficar alguns minutos na escuridão.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Parar de fumar aumenta risco de diabetes

C

alma, calma... coloquei esse título só pra chamar a atenção, mas confesso que fiquei momentaneamente alarmado quando li o título desta matéria: Giving up smoking 'raises diabetes risk', publicada ontem no site da BBC News. Esse é o clássico atrativo das manchetes, que sem querer querendo (desculpe pelo trocadilho) atraem nossa atenção fazendo com que tenhamos opinião e julgamentos antes mesmo de lermos a matéria.

Mas, enfim, vamos ao que interessa: à matéria. De acordo com um estudo norte-americano, que acompanhou mais de 10 mil pacientes por 17 anos, ficou evidenciado que ao parar de fumar, especialmente nos primeiros 3 anos se comparados aos ainda fumantes (ou 6 anos, em relação aos não fumentes), a pessoa tem uma chance aumentada de desenvolver o diabetes melito tipo II. Mas claro que essa descoberta não vem para auxiliar o fumante a ter mais uma desculpa para continuar seu vício, muito pelo contrário: é mais uma evidência da importância do acompanhamento do paciente que parou de fumar, isto é, o seguimento do ex-fumante é tão importante quanto fazê-lo parar de fumar.

Isso tudo se justifica pelo sinal clássico dos ex-tabagistas: o ganho de peso. Esse seria o vilão da história, pois ao descontar na comida, o ex-fumante sobrecarrega o organismo com aportes de nutrientes em medidas as quais o corpo não estava acostumado, especialmente de carboidratos, que geralmente compõem a maior parte do subsídio nutricional diário de uma pessoa.

Mas que fique claro: as pessoas, depois de 10 anos pós-parada, têm o risco de desenvolver diabetes igual ao das que nunca fumaram. E, obviamente, a pessoa que parou de fumar se livra de outros tantos problemas relacionados ao cigarro, que vão desde patologias vasculares até problemas decorrentes de tumores.

Assim, fica evidente a necessidade de o profissional de saúde (e qualquer um que esteja ajudando alguém a parar de fumar) de salientar a importância da prática de exercícios e da adoção de uma dieta balanceada, sem exageros, para que o controle do peso faça com que a suspensão do tabagismo realmente traga apenas os benefícios tão conhecidos por todos (que não são poucos).

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Aniversário do Blog

E

nfim, chega o dia em que o Blog completa seu primeiro ano de existência (de muitos, assim espero!). Com alguns momentos de inspiração, outros nem tanto... algumas ausências e muitas mudanças, o In: Utilidade Pública chega ao final de um ano em saldo positivo, feliz pelos comentários e atenção recebidos, sentindo que o objetivo de informar, expor opiniões e pensamentos e claro, de discutir sobre o que acontece no dia-a-dia, foi cumprido.

Sem mais delongas, desejo a todos um ótimo 2010 e que realizem tudo o que foi programado para o ano que inicia.

Muito obrigado... e voltem sempre!

Um grande abraço,

Nuno de Mattos Capeletti