segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Alienação às avessas

U

ltimamente tenho me deparado muito com situações em que são discutidas coisas do tipo: alienação e submissão dos brasileiros perante o que provém do estrangeiro, dominação norte-americana... entre outras. No entanto, de tanto refletir a respeito, estou percebendo uma nuance muitas vezes esquecida nesse prisma de idéias "esquerdistas": ao termos pensamentos simplistas comos esses que acabei de citar estamos incorrendo no mesmo erro o qual tanto se tem aversão: a alienação.

Infelizmente, muitos autodenominados esquerdistas, ou melhor, críticos, acabam esquecendo que alienação não é apenas o rótulo de "ser de situação ou pensar como tal", mas sim, corresponde, segundo o próprio dicionário, a afastamento, alucinação, desvio... Ou seja, é possível haver alienação tanto para quem se considera de direita como para os ditos oposicionistas.

Reconhecidamente acredito nos ideiais comunistas, mas digo isso pois atentei para o fato de que se criou uma aura no sentido da necessidade de, para se poder falar com autoridade determinadas questões políticas, serem lidos determinados livros julgados "cultos", como se uma opinião sobre um sistema de governo só pudesse ser formada com embasamento teórico para tal, desvalorizando-se totalmente a experiência que se sente na carne, no dia-a-dia.

Obviamente não se pode criticar um sistema político e/ou social sem conhecê-lo, mas daí pensar que a aplicação e as consequências de tal sistema não podem ficar sobre o crivo da crítica só porque muitos não conhecem o que foi dito na idéia original (no livro), aí já é pensar de forma extremista e intransigente, afinal o que pode ser julgado hoje é tão somente a forma de aplicação da idéia e não a idéia em si.

Pra não ficar tão filosófico e incompreensível, dou um exemplo: a pouco tive uma conversa sobre a exposição da cultura através do idioma. Bem, até aí sem problemas. Porém, como era de se prever, sempre há alguém "politizado" para dizer: somos tão dominados pelos "americanos" que hoje só falamos download e upgrade, sendo assim subjugados também através da linguagem.
Por favor! Me poupe! É ser simplista e bitolado demais pensar que atualmente um povo é subjugado através da linguagem! Afinal, o que se adota das outras línguas nada mais é do que um crescimento cultural e não um declínio, tanto que o português não passa de uma variação do latim, isto é, as línguas evoluem... ou tu já ouvistes alguém falando em latim por aí, além de padre em missa???

Bem, desejo apenas mostrar com este post (ou melhor, postagem... para não ceder ao domínio do inglês norte-americano! heheh) que devemos parar um pouco e pensar no que realmente acreditamos e defendemos, e o porquê. Afinal, é muito bonito falar em "norte dominador", mas nos esquecemos que essa subjugação só ocorre para quem é apegado a teorias obsoletas, que não é aberto à opinião dos que não leram os conhecidos livros-chave, ou seja, ficou estacionado num passado longínquo de frases-feitas e pré-conceitos, não sabendo adaptar-se ao que vem de fora.

Enfim, será que a dominação, no caso da informática por exemplo, vem da linguaguem que temos que usar, ou vem da tecnologia que importamos e temos preguiça de fazer uma melhor? Afinal, nada mais natural do que o inventor impor suas vontades sobre os usuários, não?!
Bem, sem mais delongas, apenas quero comentar sobre esta onda demagógica que se criou, onde é bonito falar em dominação dos ricos sobre os pobres (o que obviamente existe), mas há o esquecimento de que atualmente tudo é partilhado, desde uma simples palavra até a tecnologia criada em qualquer parte do mundo, então o que devemos, para não sermos "dominados", é deixar de falar... é preciso sair de trás dos livros empoeirados e ir à luta, porque a inteligência não está em refutar o que vem de fora, mas sim saber adaptar e criar o que falta, sem demagogia.

2 comentários:

, Miima disse...

"...inteligência não está em refutar o que vem de fora, mas sim saber adaptar e criar o que falta, sem demagogia."

Nuno adoreiii. (Espero não está sendo alienada copiando tua fala... rsrsr)
Mas sabe, você chegou ao ponto nessa questão de "abaixo o imperialismo norte-americano". Estáavamos discutindo isso a uns dias na faculdade e uns bitolados só repetiam a mesma frase radical sem o mínimo de reflexão!!
Mas você sabe né, que virou moda criticar os alienados que comem Mc Donalds e bebem coca cola. Não é nem uma questão ideológica, é que depois de Bush é legal falar mal dos EUA e sua influência satânica sobre nós! rssrsrsrs

Amei teu blog!
Já tô seguindo

Vivian Sbrussi disse...

Olá!

vim agradecer a sua doce visita em meu blog!

=D

★.°☆∵。*★.°☆∵。*★.°∵★.°☆∵。*★.°☆∵。*∵★
★.°☆∵。*★.°☆∵。*★.°∵★.°☆∵。*★.°☆∵。*∵★

EXPERIMENTE, ACREDITE, SONHE E OUSE!!

Arriscar-se é viver...

Rir é arriscar-se a parecer louco.
Chorar é arriscar-se a parecer sentimental.
Estender a mão para o outro é arriscar-se a se envolver.
Expor seus sentimentos é arriscar-se a expor seu eu verdadeiro.
Amar é arriscar-se a não ser amado.
Expor suas idéias e sonhos ao público é arriscar-se a perder.
Viver é arriscar-se a morrer...
Ter esperança é arriscar-se a sofrer decepção.
Tentar é arriscar-se a falhar.

Mas... é preciso correr riscos.
Porque o maior azar da vida é não arriscar nada...

Pessoas que não arriscam, que nada fazem, nada são.
Podem estar evitando o sofrimento e a tristeza.
Mas assim não podem aprender, sentir, crescer, mudar, amar, viver...
Acorrentadas às suas atitudes, são escravas;
Abrem mão de sua liberdade.
Só a pessoa que se arrisca é livre...

"Arriscar-se é perder o pé por algum tempo.
Não se arriscar é perder a vida..."

(autor desconhecido)

     ,¡i¹i¡,
     ¹i¡,¡i¹ Beijos

♥¸.•*¨) Tenha uma ótima semaninha....     ♥¸.•*¨)
   (¸.• ♥♥  ♥♥♥ღViViAn\\(^_^)// Sbrussi ♥♥♥  (¸.•´♥♥