sábado, 21 de março de 2009

Filme: A Vida dos Outros

B

em galera, como não é costume aqui no blog eu fazer posts dedicados a alguma coisa que eu tenho feito ou algo do tipo (que aliás deve ser o propósito original do blog), sinto a necessidade de expressar agora esta nota, para informar que a partir de agora, além de matérias sobre saúde (que estão presente em maior número) e acerca de discussões sobre atualidades, começarei a postar coisas interessantes com as quais tive contato.

E para começar com esta "série", proponho a todos assistirem o filme "A Vida dos Outros". Produzido em 2006, foi ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Ele conta a história da censura imposta pelo governo socialista na então Berlim Oriental. O filme se passa nos anos 1980 e mostra um fiel agente do sistema de vigilância (Ulrich Mühe como Gerd Wiesler) encarregado em coletar evidências contra o dramaturgo Georg Dreyman (interpretado por Sebastian Koch), um dos suspeitos de atos contra o regime, tanto em seus atos quanto em suas obras.

O filme tem um suspense que, pelo menos a mim, fez-me prender na cadeira os 137 minutos da trama. Não há nada assustador, ou um ser de outro mundo, mas nos passa como real a pressão exercida pela sensura sobre os investigados.

Enfim, creio que valha a pena conferir.
Fica aí a dica! Bom filme!

Para maiores informações, clique no pôster do filme para ser redirecionado ao site do filme (em inglês), mas indico-lhes também o site Adorocinema.com.

3 comentários:

Marina Melow disse...

Hum... já ouvi falar nesse filme.

mersonreis disse...

Bela dica, Bruno. Não sei se já assistiu um filme interessante, que tem como pano de fundo a antiga Alemanha Oriental, chama-se "Adeus, Lenin", de Wolfgang Becker, de 2003, em que uma senhora fica em coma por algum tempo e ao acordar, em casa, o filho tenta protegê-la das novidades do mundo, como a queda do muro de Berlin. Interessante que o filho da senhora fica passando fitas cassete como se fossem os noticiários, tudo para proteger o pobre coração de mamãe. Adorei o filme quando assisti na TV a cabo, há alguns anos.

Um abraço do amigo!

Nuno de Mattos Capeletti disse...

Emerson, assisti a este filme sim, muito bom mesmo. Mas foi bom teres comentado, pois fica aí mais uma dica.

abraço