sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

A política é a cara do Brasil

A

o ver ontem na televisão uma propaganda partidária percebo o quão burros somos (somos = povo brasileiro). O partido em questão é o PTB, cujo discursante era nada mais nada menos que Roberto Jefferson, seu grandessíssimo presidente.


É incrível como há uma inversão de valores no Brasil: uma pessoa envolvida até os dentes no escândalo do Mensalão se torna quase um santo por ter denunciado um esquema do qual fazia parte: na época ainda me lembro pessoas falando que ele era, pelo menos, honesto, porque teve a coragem de revelar tudo. Espere um pouco! Ele não deveria ter feito outra coisa, aliás, não era nem pra ter entrado no esquema e roubado dinheiro público! E a maior prova de que tudo foi esquecido, é que ele posa na tv como uma pessoa moral, premiado com a presidência de um partido (também questionável), tendo assim a mesma aprovação dada pelo povo.

Como se não bastasse sua injusta idolatração, ainda nesta propaganda de que lhes falei, ele se põe veementemente contra um item da Reforma Previdenciária: o fator previdenciário... mas os brasileiros não podem esquecer que este mesmo Roberto Jefferson foi um dos que votou a favor de sua aprovação, obviamente se tornando contra quando lhe convém (assim como deve ter acontecido no caso do Mensalão).

Enfim, é revoltante ver que os políticos não só sabem da impunidade prevalente no país como usufruem deste mal e se apresentam todos os dias para o povo como santos, como defensores da comunidade, mas no frigir dos ovos querem apenas sua estabilidade e manter sua profissão (porque é isso que é ser político: profissional). Mas infelizmente os políticos não são tão diferentes do povo, pois o pensamento individualista muda apenas de escala (eles, nacionalmente e o povo, localmente), acrescentado ainda pelo, parafraseado o fator previdenciário, "fator voticitário": as urnas dão o poder para uma pessoa não muito diferente do seu respectivo eleitor.

Um comentário:

Emerson Reis, M.D disse...

Realmente o Roberto Jefferson fez muito bem de denunciar o esquema, ainda mais que estava sendo prejudicado!!! Estavam levando mais que ele, sacanagem!!! hehehe... mas e o cara que dava um cheque em branco para ele? Não é presidente ainda??? mas o mais importante é que a democracia é o menos pior dos regimes, e com o tempo passamos a aprender, principalmente se o voto deixar de ser obrigatório e a reforma política for para valer...

parabéns pelo blog

www.mersonreis.blogspot.com