terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Lei (nem tão) seca

Ó

tima matéria publicada na Revista Superinteressante ("Deu água na lei seca", nº262, fev/09), que fala sobre a ineficiência da Lei Seca, que entrou em vigor em 20 de junho de 2008.

Ela não apenas mostra como a violência no trânsito diminuiu no início mas já toma rumos ascendentes, como também discute o porquê.

Segundo a revista, no início da lei haviam apenas 902 bafômetros no Brasil inteiro, sendo que 500 para a Polícia Rodoviária Federal e o restante para todas as cidades brasileiras. É um absurdo! Não é a toa que o Brasil é o país da impunidade... nem no trânsito, que o lucro com as blitze compensaria os gastos (afinal a multa por dirigir com 6dg/l de álcool no sangue - 2 chopes - é de R$ 957,70), o governo não investe na aplicação da lei.

Aliás, esta lei é mais uma demostração de que o problema maior não são as leis obsoletas (como pregam muitos políticos), mas sim, a falta de cumprimento delas.

A reportagem fala ainda da necessidade de educação junto com a fiscalização. Sem dúvida, educar é necessário, mas o mais urgente ainda é a real aplicação da lei, pois a sensação de impunidade e de aleatoriedade faz com que os motoristas (burros, é claro!) se arrisquem mais. Isso fica claro com este dado: em São Paulo, por exemplo, apenas 1 a cada 300 motoristas foi submetido ao bafômetro - isso que se trata de uma das cidades mais bem preparadas; imagine então nos estados de Tocantis e Amapá, que nem bafômetro tinham!

Infelizmente, a consciência do povo só é formada por meio das obrigações e não dos direitos, pois mais uma vez este mesmo povo se mostra imaturo para aproveitar seu direito de andar pelas estradas sem ser importunado por fiscalizações, deixando que a irresponsabilidade persista e cause cada vez mais assassinatos (é assim que devemos chamar a maioria das mortes no trânsito, e não fatalidades, já que poderia ser perfeitamente evitadas)!

3 comentários:

Rerisson_Marques disse...

Sou completamente a favor da lei seca!

Quem quer beber e dirigir, que seja multado e preso a vontade!


Rerisson Marques

LUÍS KAUAI disse...

E ai vem aquela pergunta delicada...Cadê o dinheiro dos impostos, multas e pedágios??Hummm, mas claro, está nos bolsos de bêbados engravatados que dizem que defendem nossos direitos. Uau, hipocresia devia dar cadeia também...Parabéns pelo blog, e bom resto de semana!!Falouu

Ju disse...

Também li essa reportagem, e achei bem interessante. Como disse o Luís ali em cima, realmente se pergunta para onde vai todo esse dinheiro das multas? Eu, pelo menos, que tento acompanhar o rumo que a lei está tomando, não ouvi falar ainda de uso deste dinheiro para melhorar as condições do cumprimento da mesma.

Enfim, a lei é uma ótima idéia. Mas se não for cumprida como deve ser, e não for posta em prática (porque parece que brasileiro só respeita a lei depois que esta lhe custar quase 1000 reais) ela pode acabar piorando os índices de mortes no trânsito, uma vez que as pessoas vêem que não há fiscalização, e acabam, burramente, se arriscando mais ainda.

Bom final de semana!