domingo, 1 de fevereiro de 2009

Conquistar é melhor que ganhar!

H

á poucos dias eu estava conversando com amigos e não sei por que cargas d'água o assunto deslanchou para as cotas para negros na universidade.

Discutimos bastante, sendo que a maioria lá era negra e (incrível) contra as cotas. Foi uma discussão bem proveitosa mas a partir dali comecei a pensar um pouco mais sobre o assunto, pelo qual sou contra. Já explico!

O maior argumento de quem era a favor das cotas era a necessidade da reparação, de alguma forma, da retaliação e desvalia sofrida pelo negro em quase toda a história do Brasil. Neste ponto, não consigo não concordar, mas após a conversa fiquei pensando: não seria pensar pequeno querer as tais vagas, sabendo que o problema é bem mais profundo que isso? Claro que as cotas abriram uma grande e importante porta para a real discussão sobre a situação do negro na sociedade, mas acho que esta suposta discussão não está sendo feita.

Os "a favor" dizem que o negro não tem a consciência de sua importância, mas baseando -se num motivo, no meu ponto de vista, ultrapassado: de que o negro ao crescer tem vergonha de sua cor por ver que os brancos são os idolatrados, os bem-sucedidos, os éticos, enfim... os que são alvo de desejo por sua possibilidade de conquista.

Você se lembra de Milton Gonçalves, o ator negro que atuou como político corrupto na novela A Favorita, da rede Globo? Pois é, ele recebeu várias mensagens de outros negros, que o acusavam de fazer um "desserviço", ou seja, que estaria denegrindo a imagem boa que os negros estariam tentando criar. Discordo veementemente desta afirmativa: o negro têm de parar de brigar pela boa imagem, têm sim, é que lutar pra mostrar seu valor, mostrar que é tão competente que consegue mostrar inclusive seu lado feio (no caso, o corrupto) frente esta sociedade com preconceito disfarçado.

O que falta aos negros (e principalmente aos que se dizem esclarecidos no assunto) é maturidade, pois o verdadeiro referencial que a criança deve ter é saber que a conquista é muito mais saborosa e valorizada quando se luta por ela, e não quando ela é recebida de presente.

Assim, sem querer me estender no assunto, enquanto o negro brigar para ganhar as coisas, ele não vai ter olhos, nem tempo, para lutar por algo muito mais importante: a igualdade de possibilidades (perante os brancos) de alcançar seus objetivos, afinal todos sabem que o que se conquista é muito mais valorizado do o que é ganho!

Só assim, através das conquistas, o orgulho de ser negro será preservado e a discriminação poderá ter um fim.

6 comentários:

Tatá...;) disse...

eu sou negra e sou contra as cotas!é um auto racismo, uma auto segregação..eu não irei fazer com cotas ...quero ter orgulho do meu mérito e poder dizer que o conquistei e não ganhei...

bjus
http://taynalu.blogspot.com/

Déia Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

Também não concordo com as cotas para negros nas universidades, e as questãos que vc mencionou não é nem a ponta do iceberg.

Não concordo com esta maneira que o governo achou de "reparar a retaliação" que o negro vem sofrendo desde o Brasil colonial. Tínhamos que ter um governo preocupado com o povo, com a massa pobre que não tem acesso a um ensino digno neste país, independente de sua cor!

Conheço apenas um caso, porém pode haver outros, de um negro "rico"...não tão rico, mas com dinheiro suficiente para poder pagar uma PUC ou FGV da vida, mas entrou na faculdade através de cotas.

Sempre defendi que essas vagas poderiam ser direcionadas apenas aos estudantes vindos de escolas públicas, que geralmente, são de renda baixa e não tem como pagar uma particular (meu caso) não importando assim, se o estudante é branco, negro, pardo ou sei lá que cor ele tenha!

Enfim...vou para aqui também pq esse assunto é muito complexo e dá pano pra manga.

E ñ precisa me agradecer, o seu blog é show e merece o destaque que dei!

Bjus♥

MattXFrehley disse...

muito interessante,bom blog,parabéns!

Ju disse...

Olá!
Muito obrigada pela visita no blog! :)
Gostei bastante dos assuntos tratados aqui! Quanto às cotas, assisti uma palestra sobre isso no ano passado, e discordo dessa atitude. A criação de cotas em universidades desvaloriza a capacidade dos negros, afinal, sempre dizem que somos iguais e concordo, negros e brancos devem ter as mesmas oportunidades sempre. Mas se a luta é pela igualdade, deveriam incentivar o povo a lutar por aquilo que querem, e não simplesmente dar uma assistência especial para eles, pois aí mesmo é que eles vão se sentir "rebaixados". E com certeza, conquistar é muito melhor que ganhar ;)

Parabéns pelo blog, e viva ao nosso Rio Grande do Sul! Haha! ^^

Ingrid disse...

Muito obrigada pelas boas-vindas no mundo dos blogs!

Seu blog está incrível, bem limpo, prático e com assuntos que nos fazem refletir. Parabéns!

Quanto a este assunto concordo que o valor da conquista é imensamente maior que o simples fato de ganhar algo.

Só não concordo com o fato de que aos negros faltam maturidade, na verdade esta falta de maturidade está presente em todo o ser humano que insiste em depreciar algo ou alguém.

Espero que a humanidade continue evoluindo e deixe de lado esses preconceitos bobos e sem fundamentos. Afinal só poderemos crescer quando estivermos, verdadeiramente, unidos.

Abraços!

LUÍS KAUAI disse...

Opa, bom dia!!!Na boa?? Curti e curtirei seu blog, muito show mesmo!!Concordo com a Déia 3 e a Ingrid. Parece que a gente esquece daquele ensinamento que a muito tempo um carinha de barba falou né, que não existe diferença, nós somos todos iguais! Agora, por desvio da história, nós somos diferentes na cor, na classe social e uma infinidade de diferenças. Bom e ruim, bom porque percebemos que somos diferentes e únicos, ruim, porque a sociedade é imatura para diferenciar a ela mesma, a ver que o que importa não é o corpo ou a cor e sim como uma única pessoa pode fazer a diferença para mudar o mundo para melhor...
abraços e estarei acompanhando também!!
Falou, boa semana!!!