sábado, 3 de janeiro de 2009

É só querer!

E

xercícios físicos... muita gente fica cansada só de falar... Então, ao ler a reportagem abaixo, vi que praticar atividade física pode ser mais fácil, e rápido, do que pensava. Afinal, tempo é sempre uma desculpa frequente para deixar para depois o exercício.

Foi por isso que selecionei a reportagem abaixo. Então... mova-se! Sacode a poeira e exercite-se!

Frequência é fundamental


Exercícios físicos esporádicos não são eficientes contra as doenças decorrentes do sedentarismo

Não basta fazer exercícios. É preciso praticá-los com uma frequência mínima para condicionar o organismo. As atividades físicas esporádicas não têm o mesmo efeito benéfico para a saúde creditado ao esporte. O ideal para diminuir chances de problemas de saúde é equilibrar intensidade e frequência. Mas sem exageros: a prática desenfreada sem o tempo de descanso necessário é prejudicial. O conselho vem da Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo o órgão, o ideal são entre uma hora (atividades intensas) e duas horas e meia (moderadas) de exercícios por semana, em dias alternados. Essa quantidade é a mínima para evitar doenças decorrentes do sedentarismo, como problemas cardíacos, diabetes tipo 2 e câncer de mama.

Também há benefícios na prática menos frequente, mas, segundo professores de educação física, são muito mais psicológicos do que físicos. Para se manter saudável, o importante é criar o hábito de se exercitar com assiduidade. Segundo o educador físico Guilherme Sari, dedicar tempo à atividade física é crucial.

– Quando se deixa de fazer exercícios para trabalhar, compromete-se o próprio trabalho porque os problemas de saúde de sedentários atrapalham o dia-a-dia – alerta.

Para encontrar o tempo necessário, a solução é priorizar a saúde. Como faz o gerente André Rufino dos Santos, de 27 anos. Com uma rotina pesada no emprego, ele se matriculou numa academia no mesmo prédio do trabalho para conseguir ir seis vezes por semana.

– Nós é que criamos obstáculos, mas se quisermos realmente, sempre há um jeito – conta.

Exagerar na dose, no entanto, também traz riscos. Especialistas destacam a necessidade de descanso do corpo e sugerem trabalhar grupos musculares em dias alternados e com intensidade variada. Do contrário, a pessoa pode ter fadiga, além de causar estresse muscular e lesões.

– O interessante é diversificar a atividade entre momentos intensos, moderados e leves, e praticar diferentes modalidades – sugere a professora de educação física da Universidade Católica de Brasília Gislane Melo.

Como praticar

> Atividade intensa: 20 minutos, três vezes por semana. Exemplos: corrida, bicicleta rápida, caminhada em subida, escalada, natação intensa e esportes como futebol, vôlei e basquete.
> Atividade moderada: 30 minutos, cinco vezes por semana. Exemplos: caminhada rápida, dança, tarefas domésticas, passear com o cão, esportes com crianças.
> Musculação: de oito a 10 exercícios de força muscular em até 12 repetições, duas vezes por semana.
> Idade: para idosos, a quantidade de exercícios indicada é a mesma para os adultos, salvo em problemas de saúde específicos. Indicam-se também atividades de flexibilidade e equilíbrio.

Fonte
Jornal Zero Hora, 03/01/09, Caderno Vida, pág. 3

Links
Matéria no site da ZH
ZH virtual (03/01/09)

Nenhum comentário: