quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

MSF divulgou, em 22/12/2008, as dez maiores crises humanitárias



G

rande número de civis forçados a se deslocar, violência, e necessidades médicas não supridas na República Democrática do Congo, Somália, Iraque, Sudão e Paquistão ao lado de emergências médicas negligenciadas em Mianmar e no Zimbábue são algumas das piores crises humanitárias do mundo, diz a organização médica humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) em seu relatório anual "As dez crises humanitárias mais negligenciadas", divulgado nesta segunda-feira.


O relatório mostra as grandes dificuldades em levar assistência a pessoas afetadas por conflitos. A falta de atenção internacional ao prevalecimento crescente da co-infecção HIV-tuberculose e a necessidade crítica de esforços globais para prevenir e tratar a desnutrição infantil, a causa da morte de quase cinco milhões de crianças ao ano, também estão incluídas na lista.

“Trabalhando nas frentes de batalha de zonas de crise no mundo, as equipes de saúde de MSF testemunham em primeira mão as conseqüências médicas e psicológicas da violência extrema, deslocamento, doenças negligenciadas – porém tratáveis – e das necessidades médicas”, diz o Presidente do Conselho Internacional de MSF, Dr. Christophe Fournier. “Em alguns desses lugares, MSF é uma das únicas organizações independentes que leva assistência humanitária, então temos uma responsabilidade enorme não só tratando os pacientes, mas também como testemunhas, de falar sobre o sofrimento intolerável e as necessidades básicas dessas pessoas. Necessidades que são freqüentemente ignoradas.”


Nenhum comentário: