sábado, 17 de janeiro de 2009

Entenda o Ebola

E

stimulado pelo penúltimo post, sobre a imortal infecção pelo vírus Ebola, fui procurar saber mais sobre a doença. Para isso, há muita informação na própria internet e em livros, mas para todos terem maior acesso, detive-me nas fontes confiáveis disponíveis na internet (veja Fontes e Links).

Ebola é o nome simplificado de Febre Hemorrágica Ebola (já que o grupo de febres hemorrágicas é bem amplo, fazendo parte dele doenças conhecidas como a febre amarela) e está em um subgrupo desse tipo de febre: a chamada Febre Hemorrágica Africana (que também abrange a não menos importante Febre de Marburg). Este nome, Ebola, foi dado em virtude de um rio, na República Democrática do Congo (antigo Zaire), onde o vírus foi primeiramente identificado.

O vírus causador faz parte da família Filoviridae, sendo que existem 4 subtipos: Zaire, Sudão, Ivory Coast e Reston (este último, não afetando o ser humano). Tem como hospedeiros os primatas (macacos e ser humano). Seu período de incubação é de 3 a 18 dias, com taxa de mortalidade atingindo 53 a 88%, sendo a mais mortal das febres hemorrágicas.

Sinais e sintomas:
Início súbito com cefaléia intensa, dores nas costas, musculares e abdominais. Ao redor do terceiro dia, aparecem náuseas, vômitos e diarréia com muco e sangue, surgindo também erupções cutâneas maculopapulares no tronco e se disseminando pelo corpo. A doença avança com febre alta e alteração do estado mental (com agressividade ou letargia). Pode haver sangramentos espontâneos, como hemoptise, melena e hematêmese, além de abortamento se a vítima estiver grávida. As mortes ocorrem ao redor do nono dia. Já a recuperação é marcada por fadiga, emagrecimento, alopecia e problemas psicológicos.

Diagnóstico:
Exame de ELISA com o sangue do paciente, detectando assim o antígeno. Além do sangue, fígado e outros órgãos podem ser usados na pesquisa diagnóstica.

Tratamento:
Não há tratamento específico. O que é feito é uma terapia de suporte (manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico e controle do sangramento - com reposição de elementos do sangue quando necessário). O cuidado no manuseio de secreções e do sangue da pessoa infectada (meios de transmissão da doença) são fundamentais na profilaxia.

Nenhum comentário: